terça-feira, 21 de maio de 2013

A PREVALÊNCIA DA DOENÇA



               A prevalência de esteatose hepática não-alcoólica entre as diversas populações não é completamente definida. Nos países asiáticos a prevalência chega a ser de 5% a 30% de pessoas diagnosticadas e em países industrializados essa ordem sobe para 10% a 40%, mas a prevalência real é difícil de ser calculada, pois às vezes a doença não apresenta sintoma algum, como foi apresentado no post anterior. 
Incidência na população
Esteatose
16-30%
Esteato-hepatite
2-3%
Incidência de doentes
Diabetes tipo 2
28-55%
Obesidade
60-95%
               Na população em geral, a porcentagem de pessoas com esteatose pode chegar a 30%, sendo mais comum no homem que na mulher. Quando restringimos para apenas pessoas com sobrepeso cresce para 45%, isto é, quase metade deles tem esteatose. Para obesos é bem mais crítico, chega a ser 70%. Já para obesos mórbidos a probabilidade é de 85% e se forem diabéticos praticamente todos possuirão um fígado gorduroso. Estima-se que cerca de 50% dos pacientes diabéticos apresentam esteatose hepática. Na população jovem, a esteatose afeta 2,6% das crianças, 10% a 25% dos adolecentes e aumenta entre 22% a 53% para crianças obesas. Outro dado interessante é que, em afro-americanos, a frequência de um fígado gorduroso é bem menor que em pessoas brancas, pois está relacionada a fatores genéticos e/ou ambientais.

Para calcular seu IMC : http://www.calculoimc.com.br/

               A diabetes tipo 2, a resistência a insulina, o colesterol elevado e a obesidade na população em geral são os fatores de risco mais relevantes no desenvolvimento ou em potencializar a doença do fígado. 


                   Fonte:  http://www.moreirajr.com.br/revistas.asp?fase=r003&id_materia=3467
                               http://benvenutri.blogspot.com.br/2013/01/esteatose-hepatica-nao-alcoolica.html
                               http://www.abeso.org.br/pagina/273/artigo.shtml
                                                                                                       
                                                                                                             Post : Willian Vagner

Nenhum comentário:

Postar um comentário